Qualificação Profissional: mais de 80 corretores participam da Live do Creci:

Diante do cenário excepcional que Alagoas está vivendo, em razão da pandemia da Covid-19, o Creci-AL realizou a Live Qualificação Profissional, na noite desta quarta-feira (20), para apresentar aos corretores de imóveis as mais recentes ferramentas e plataformas desenvolvidas pelo Creci e outras instituições, com o objetivo de contribuir com o desempenho e as atividades dos profissionais do mercado imobiliário.

Mais de 80 corretores e conselheiros e diretores do Creci-AL participaram da Live, que foi conduzida por Tales Cardoso e Thiago Morais, respectivamente diretor Pedagógico e coordenador de Tecnologia do Creci-AL, transmitida ao vivo via instagram (Crecial22). Eles apresentaram ferramentas e plataformas gratuitas, que auxilia corretores no trabalho, como várias opções de cursos EaD, o site do Creci, o Portal de Imóveis Creci, carteira digital, que está disponível na App Store e Play Store, através do aplicativo i-Corretor.

Também foram prestados alguns esclarecimentos sobre pagamento de anuidade, treinamentos e cursos principalmente, o curso de Avaliador, o mais procurado pela categoria, além Homer, parceira imobiliária de milhares de corretores em todo o país. Tales Cardoso frisou que os corretores podem saber quais os cursos EaD estão a disposição, ‘‘basta fazer uma pesquisa rápida pela internet, através do link: http://ead.creci.org.br, para encontrar centenas de cursos online totalmente gratuitos e disponíveis’’.

O presidente do Creci-AL, Edilson Brasileiro confirmou que a Live de Qualificação Profissional vai ser realizada todas as quartas-feiras, em quanto durar o período que proíbe aglomeração de pessoas, em combate à pandemia. ‘’A nossa meta é qualificar e auxiliar os corretores de imóveis nas suas atividades cotidianas’’. disse.

A Live está a disposição, no instagram do Creci-AL: Crecial22.

Crédito imobiliário da Caixa na pandemia supera R$ 50 bi

TAMBÉM AFIRMOU QUE AS FILAS VÃO DIMINUIR NO PAGAMENTO DAS PRÓXIMAS PARCELAS, JÁ QUE HOUVE APRENDIZADO COM O PAGAMENTO DA PRIMEIRA LEVA

Mais de R$ 50 bilhões dos R$ 154 bilhões de crédito imobiliário colocados à disposição pela Caixa Econômica Federal durante a pandemia já foram contratados, afirmou ontem o presidente da instituição financeira, Pedro Guimarães. Além disso, a Caixa deve apresentar nos próximos dias novas medidas voltadas ao setor de construção civil.

“Entendemos que estamos apoiando a retomada do crescimento”, disse durante a reunião virtual da comissão mista do Congresso que acompanha as ações relacionadas à covid-19. “Teremos mais notícias positivas para a construção civil ao longo dos próximos dias”, afirmou.

Durante a pandemia, o banco manterá seu foco de atuação. Além do setor imobiliário, fazem parte desse foco, segundo o executivo: políticas públicas; infraestrutura; compra de carteira; e microcrédito. “A Caixa não vai dar crédito a empresas privadas grandes”, afirmou.

O banco também voltará a diminuir “em breve” os juros cobrados no cheque especial.

Em sua apresentação, Guimarães destacou que no início de sua gestão, no começo do ano passado, os juros mensais do cheque especial cobrados pelo banco estavam em aproximadamente 14% ao mês. Depois de uma série de reduções, o piso para a taxa mensal cobrada pela Caixa atingiu 2,9% no fim de março. Vale destacar que no início de 2020 entrou em vigor o teto mensal de 8% para a taxa de juros cobrada no cheque especial.

Além disso, entre 40 milhões e 45 milhões de pessoas que não tinham conta em bancos devem ser beneficiadas pela criação da conta digital da Caixa, na estimativa do presidente. A conta digital foi criada pela instituição financeira para realizar o auxílio emergencial de R$ 600, criado durante a pandemia.

De acordo com Guimarães, já foram criadas aproximadamente 20 milhões de contas digitais, o que deixará um legado positivo para a bancarização no Brasil após a crise.

O presidente da Caixa foi questionado diversas vezes por deputados e senadores a respeito de dois temas: o calendário de pagamentos da segunda e terceira parcelas do auxílio emergencial e as filas formadas em agências para a realização do saque. Ele repetiu afirmações da semana passada, de que o cronograma depende do aval do Ministério da Cidadania e do presidente Jair Bolsonaro. Também afirmou que as filas vão diminuir no pagamento das próximas parcelas, já que houve aprendizado com o pagamento da primeira leva.
Fonte:Valor Econômico

Mercado imobiliário comemora sétima redução seguida redução da Selic

O mercado imobiliário comemora mais um notícia positiva para quem quer comprar seu imóvel para moradia ou investimento: a redução da taxa Selic para 3% , o menor nível da história.

Esta foi a sétima redução seguida na taxa básica de juros e, apesar de não ser uma surpresa para o mercado, a redução de 0,70 ponto percentual mostrou a disposição do Banco Central de “dar o estímulo necessário como reação às consequências econômicas da pandemia da Covid-19”.

A redução da Selic vem se juntar a outras medidas anunciadas pela Caixa Econômica Federal para incentivar o setor da construção civil e imobiliário no país, já que pode aquecer o financiamento imobiliário.

As taxas de juros para financiamento imobiliário já estão em níveis baixíssimos, em torno de 5,00% por cento ao ano no segmento do Minha Casa Minha Vida. Apenas para efeito de comparação, as taxas para financiamento de veículos estão em média em 30% a.a., os juros rotativos do cartão de crédito em 60% a.a. e o crédito direto ao consumidor podem chegar a exorbitantes 90% a.a. ao ano.

Imóveis Para Investimento E Moradia

Para quem busca um imóvel como investimento o mercado reserva excelentes oportunidades. Enquanto os rendimentos de renda fixa desestimulam qualquer investimento, quem investe do setor imobiliário consegue taxas de retorno próximas de 30% ao ano com segurança e liquidez.

Hoje não existem no país juros menores do que os do financiamento para imóveis, tornando o sonho da casa própria uma realidade para quem se dispões a dar o primeiro passo.

Em muitos casos a parcela do financiamento de uma casa, sobrado ou apartamento fica menor ou igual ao valor de um aluguel de imóvel similar.

Fonte: Torresul Imobiliária

Bolsonaro assina decreto sobre construção civil como atividade essencial

O presidente da República, Jair Bolsonaro, assinou nesta quinta-feira (7), um decreto colocando no rol de atividades essenciais o setor de construção civil. Após participar de reunião com empresários no Supremo Tribunal Federal (STF), Bolsonaro disse que outras categorias serão incluídas “nas próximas horas e nos próximos dias”.Ele afirmou que está fazendo isso para que esses setores possam funcionar durante a pandemia.

Ressaltou que o funcionamento de atividades que não estão listadas no decreto de atividades essenciais é decidido por Estados e municípios, por determinação do STF. “Alguns estados exageraram, mas não estou brigando com ninguém”, afirmou Bolsonaro. “Vamos colocar novas categorias com responsabilidade e observando as normas do Ministério da Saúde. Porque senão, depois da UTI, é o cemitério, e não queremos isso para o Brasil”, completou.

Fonte: UOL Economia

Corretores de imóveis podem ser alvo de golpe no Whatsapp

Há vários golpes praticados no aplicativo de mensagens Whatsapp, um deles tem como alvo a classe de corretores de imóveis.

A orientação do Creci-AL é que o corretor não responda às mensagens e comunique imediatamente ao órgão.

Em algumas capitais do país, corretores de imóveis relataram ao Creci terem recebido mensagens via aplicativo, identificado com a marca do órgão e solicitando confirmação de dados cadastrais.

“O Creci-AL, já alertou várias vezes que, este órgão, não solicita essas informações por whatsapp, sequer por telefone.

E Lembra ainda que a atualização de cadastro do corretor de imóveis somente pode ser realizada de duas formas: via site do Creci e por meio do aplicativo i-Corretor.

A orientação do Creci é, que o corretor de imóveis, não responda as mensagens e comunique imediatamente ao Creci a tentativa de golpe.

O Creci está atento, orientando os corretores sobre essas tentativas e tomando medidas jurídicas para evitar esses golpes.

Ademi-AL divulga medidas para evitar pandemia do Covid-19 no stand de vendas

A Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Alagoas (Adeimi-AL) fez a divulgação, nesta segunda-feira (27), de várias recomendações a serem adotadas pelos profissionais do setor no stand de vendas, diante da preocupação da sociedade com os riscos de contaminação do Covid-19.

Seguem as recomendações:

• Orientar os corretores e clientes sobre a pandemia do COVID-19 e os cuidados de prevenção e disseminação do Vírus;

• O atendimento no stand deverá ser feito com hora marcada, sem aglomeração, ou seja, sempre o corretor e mais duas pessoas (Clientes);

• Garantir a disponibilização ininterrupta e suficiente de álcool em gel 70% em locais fixos de fácil acesso e solicitar ao cliente a higienização das mãos na entrada do stand;

• Assegurar o distanciamento mínimo de 1,5 metros entre as pessoas dentro do stand de vendas;

• Garantir a disponibilização de máscaras aos funcionários do stand, corretores e clientes, e colocar avisos em diversos locais no Stand, principalmente na entrada, para que os clientes utilizem máscaras – Afixar um cartaz na entrada do Stand com os seguintes dizeres;

“Na forma do inciso V, do artigo 8° do Decreto no 69700 de 20 de abril de 2020, do Governador do Estado de Alagoas, solicitamos que todos ao adentrarem neste stand de vendas o façam utilizando máscaras e permaneçam com a mesma durante todo o período de permanência”

• Realizar no início do dia, antes da abertura do stand, a higienização do Stand de Vendas.

• Evitar cumprimentar com abraços e apertos de mão;

• Disponibilizar um dispenser de álcool gel 70 % próximo aos materiais de uso coletivo (ex: Folders);

• Comunicar ao funcionário do stand e corretores, que se apresentar algum
sintoma (Febre, Tosse, dificuldade para respirar, cansaço, Fadiga e Diarreia),
não ir o stand e informar ao responsável;

• Caso o funcionário ou corretores tenha tido contato com alguma pessoa que
foi diagnosticada com COVID – 19, o mesmo deve comunicar ao responsável;

• Observar as precauções quanto ao uso do álcool gel 70%, tendo em vista que
ambos são materiais inflamáveis;

• Utilizar, sempre que possível, sistema natural de circulação de ar, abstendo-se da utilização de aparelhos de ar condicionado e ventiladores;

Creci-AL pede ao governador fim da quarentena para corretores de imóveis

Diante do afastamento dos profissionais liberais do mercado imobiliário de Alagoas, por conta da quarentena do Covid-19, Edilson Brasileiro, presidente do Creci-AL, encaminhou um ofício, nesta sexta-feira (17), ao governador do Estado, Renan Filho, solicitando a volta das atividades normais das empresas imobiliárias e dos corretores de imóveis, em caráter de urgência.

O representante dos corretores de imóveis, argumentou que as atividades exercidas por imobiliárias e corretores não provocam aglomeração de pessoas. ‘‘Trata-se de um trabalho realizado personalíssimo, apenas entre cliente e corretor’’’, disse Brasileiro.

No documento, o Creci-AL ressalta ainda, que em outros governos estaduais do país já atenderam este pleito. E cita como exemplo, Sergipe, onde o mercado imobiliário retornou as atividades normais de funcionamento.

Brasileiro disse esperar que aconteça o mesmo, em Alagoas. ‘‘Lembramos mais uma vez que, os corretores de imóveis, são profissionais liberais e sobrevivem do resultado de suas vendas’’. concluiu.

Caixa lança aplicativo para venda de imóveis em parceria com corretores

A Caixa Economia Federal lançou, na semana passada, um aplicativo que tem como finalidade prestar assistência aos clientes indicados pelos corretores de imóveis.

Trata-se do Aplicativo da Habitação. Ele cadastra os clientes dos profissionais da corretagem e faz todo o trabalho de acompanhamento do processo, até a conclusão do financiamento do imóvel.

De fácil utilização, o aplicativo foi desenvolvido para fazer simulação de adquisição de unidades habitacionais e toda a manutenção dos contratos, através de opções em autoatendimento.

Além da praticidade, o aplicativo traz comodidade, uma vez que não há necessidade do corretor se deslocar atá a agência. Tudo direto do smartphone, a qualquer hora e em qualquer lugar.

Veja mais informações do Aplicativo, através do link: http://www.caixa.gov.br/atendimento/aplicativos/habitacao/

Creci e Caixa realizam teleconferência sobre novidades e Aplicativo para corretores

O Creci vem adotando medidas que devem estimular as atividades profissionais da categoria, em tempo de regime de quarentena para frear os efeitos da pandemia, causada do coronavírus. Diante deste cenário, o órgão realizou uma teleconferência, nesta segunda-feira (13), com a Superintendência Executiva de Habitação da Caixa em Alagoas e debateu melhores condições para corretores vender imóveis, utilização do Aplicativo de Habitação e novas medidas adotadas pelo banco para o mercado imobiliário.

APLICATIVO DE HABITAÇÃO
O aplicativo da Caixa, lançado na semana passada, com o objetivo de cadastrar os clientes dos corretores de imóveis é fazer todo o acompanhamento do financiamento imobiliário, como simulação de admissões de unidades habitacionais e manutenção de contratos, através de opções em autoatendimento, sem necessidade de deslocamento à agência. Tudo direto do smartphone, a qualquer hora e em qualquer lugar.
Veja mais informações do Aplicativo, através do link: http://www.caixa.gov.br/atendimento/aplicativos/habitacao/

NOVAS MEDIDAS PARA O MERCADO IMOBILIÁRIO
A novas medidas de proteção e estímulo ao setor da construção civil da Caixa podem beneficiar mais de 5 milhões de famílias, preservar mais de 1,2 milhão de empregos, representar R$ 43 bilhões de recursos na economia, contribuir para a sustentabilidade da carteira habitacional e a manutenção da adimplência das operações.

Ações para Pessoas Físicas:
Implementada a pausa no financiamento habitacional de 90 dias, para clientes adimplentes ou com até 2 (duas) parcelas em atraso, incluindo os contratos em obra.
 Possibilidade dos clientes que utilizam a conta vinculada do FGTS para pagamento de parte da prestação, pausar a parcela não coberta pelo FGTS por 90 dias.
 Clientes adimplentes ou com até 2 (duas) parcelas em atraso poderão optar pelo pagamento parcial da prestação do financiamento, por 90 dias.
 Prazo de carência de 180 dias para contratos de financiamento de imóveis.
 Aos clientes que constroem com financiamento da Caixa (construção individual) será permitida a liberação antecipada de até 2 (duas) parcelas,
sem a vistoria.
 Renegociação de contratos com clientes em atraso entre 61 e 180 dias, permitindo pausa ou pagamento parcial das prestações.

Ações para Empresas:
 Antecipação de até 20% dos recursos do Financiamento à Produção de empreendimentos para obras a iniciar.
 Antecipação da liberação dos recursos correspondentes a até 3 (três) meses, limitado a 10% do custo financiado, para obras em andamento e sem atrasos no cronograma.
 Liberação de recursos de financiamento à produção não utilizados pela empresa nos meses anteriores, limitado a 10% do custo financiado.
 Implementada a pausa no financiamento à produção de 90 dias, para clientes adimplentes ou com até 2 (duas) parcelas em atraso, incluindo os contratos em obra.
 Permitir o pagamento parcial da prestação do financiamento, por até 90 dias, para o clientes adimplentes ou com até 2 (duas) parcelas em atraso.
 Inclusão ou prorrogação de carência por até 180 dias, para os projetos com obras concluídas e em fase de amortização.
 Possibilidade de prorrogação do início das obras por até 180 dias.
 Admitir a reformulação do cronograma de obra, nos casos de contingências na execução por questões decorrentes da pandemia.

Atendimento aos clientes:Com o objetivo de minimizar os riscos de contaminação e exposição dos nossos clientes e empregados à Covid-19, a CAIXA ampliou o prazo de vencimento de laudos e avaliações.
Para comodidade e segurança dos clientes, a CAIXA recomenda a utilização dos canais digitais, como Internet Banking e App Habitação CAIXA, além do telefones 3004-1105 e 0800 726 0505, opção 7, ou através do número 0800 726 8068 para renegociação do seu contrato.

Pelo Creci, participaram da teleconferência: Edilson Brasileiro (presidente), Ione Malta (vice-presidente), Maurício Junior (1º secretário), Tales Cardoso (1º Tesoureiro), Salomão Mello (2º secretário), Meire Bezerra (diretora de Eventos e Responsabilidade Social) e Jorge Junior (diretor de Fiscalização). Representaram a Caixa: Ederson Ramalho (superintendente Executivo de Habitação), Camila Leão (assistente de Varejo) e Renato da Silva (gerente da Carteira Pessoa Física).

Caixa anuncia 6 meses de carência para financiamentos de imóveis e mais medidas em meio à crise

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta quinta-feira (9) que dará seis meses de carência para financiamentos de imóveis novos, tanto para pessoas físicas, como jurídicas.
A novidade faz parte do pacote de novas medidas focadas especialmente no crédito imobiliário na tentativa de combater os efeitos econômicos da pandemia do coronavírus.
Pedro Guimarães, presidente da Caixa, estimou que esses seis meses de carência para pessoas e empresas devem ajudar a manter o emprego de 1,2 milhão de trabalhadores da construção civil e deixou um recado para as empresas do setor. “Temos um compromisso com as construtoras, mas não aceitaremos demissões, queremos proteção para o funcionário. Se o funcionário enfrentar problemas ou houver demissões essas regras não valem para a empresa”, disse em coletiva feita nesta manhã.
A Caixa também informou que tem R$ 43 bilhões destinados aos programas de crédito imobiliário, além dos R$ 111 bilhões anunciados anteriormente para novas linhas de crédito.
“Isso nunca aconteceu e a Caixa mostra alinhamento com o momento de crise que o país enfrenta. Parte da nossa base de clientes é de pessoas com menor renda, por isso, todas as medidas que estamos anunciado valem para todos os clientes em todas as linhas de renda incluindo pessoas jurídicas. Nossa preocupação é com a manutenção de empregos, com os empréstimos e com o programa habitacional. São um total de R$ 154 bilhões para auxiliar os brasileiros. Vamos manter o equilíbrio nesse momento”, afirmou o presidente.
Ainda, Guimarães deixou claro que o banco estenderá prazos e flexibilizará medidas caso a crise se estenda. “A Caixa vai agir e reagir à crise. Se a situação ficar mais grave, poderemos sim ampliar as linhas de crédito para garantir o auxílio a todos”, disse.
Veja as medidas anunciadas no âmbito do crédito imobiliário:
Pessoas físicas
Para as pessoas físicas, a Caixa disponibilizou algumas opções:
a) A principal medida é a carência de 180 dias para quem desejar comprar imóveis novos. “A novidade vale para qualquer cliente da Caixa, sendo Minha Casa Minha Vida ou média renda. Estamos dando uma folga para o brasileiro realizar o sonho da casa própria”, diz Jair Luiz Mahl, vice-presidente de Habitação da Caixa.
b) As pessoas podem solicitar uma pausa de até 90 dias do pagamento de contratos de crédito: vale para qualquer linha de crédito imobiliário do banco e para todos os clientes. “De clientes do Minha Casa Minha Vida aos clientes de média renda, todos estão contemplados”, reitera Mahl.
Caso os clientes não queiram suspender seus respectivos pagamentos de parcelas, a partir de segunda-feira (13), a Caixa também informou que será possível fazer o pagamento parcial das parcelas. “Nesse caso, o cliente precisa entrar em contato com a Caixa por telefone e informar sua opção e o valor do pagamento”, diz. Telefone de contato Caixa: 0800 726 0101.
c) Clientes que estão construindo de forma individual a casa própria serão vistoriados com modelos digitais. “Faremos vistoria de forma não física para proteger funcionários e clientes”, diz Mahl.
d) Inadimplentes de contratos de crédito imobiliário que não conseguiram pagar as parcelas há mais de 61 dias a partir de segunda-feira (9) terão acesso a pausa de pagamentos também por até 90 dias. “Esses clientes serão contatados ou podem entrar em contato com a Caixa para solicitar o serviço temporário. Nosso objetivo evidente é manter os contratos da Caixa ativos e ao mesmo tempo passar por esse período. Por isso, queremos dar a condição para os cliente, mesmo o que tem prestações atrasadas”, diz o vice-presidente.
Todas as demais medidas entram em vigor a partir desta segunda-feira (13).