Posts by Assessoria de Imprensa

Caixa lança crédito com garantia de imóvel que cobra juros de 0,60% ao mês

Ampliando ainda mais o seu foco em crédito imobiliário, a Caixa anunciou que irá revitalizar a sua modalidade de crédito com garantia de imóvel (home equity), a parir desta segunda-feira (03). Em seu novo posicionamento o banco irá cobrar a menor taxa do mercado: a partir de 0,60% ao mês.

A Real Fácil Caixa – que detém 70% do mercado de financiamento de imóveis oferece a menor taxa do mercado de home equity – irá oferecer crédito equivalente a até 60% do valor do imóvel, que pode ser financiado em 180 meses.

Ao contratar a linha, o cliente pode optar pela forma de atualização do empréstimo, que poderá ser pela TR, IPCA ou Taxa Fixa. Podem ser oferecidos como garantia imóveis residenciais ou comerciais.

O sistema de amortização também fica a critério do cliente, que pode escolher entre Sistema de Amortização Constante – SAC ou Sistema Francês de Amortização – Price.

Nesta primeira fase de relançamento da linha de crédito, o imóvel utilizado como garantia deve ser quitado. “O crédito para imóveis financiados fica para uma próxima etapa”, disse o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, em coletiva.
Fonte: www.exame.com

Corretor de Imóveis: profissional qualificado?

POR JOÃO TEODORO,
PRESIDENTE DO SISTEMA COFECI-CRECI

Um artigo na internet sobre como comprar imóvel surpreendeu-me com um conselho final, que dizia: “não confie apenas na palavra do vendedor, ainda que seja conhecido. Pode ser que ele nem saiba o que está por trás da fachada”. O “vendedor”, no caso, é o Corretor de Imóveis. A afirmação preconceituosa provocou-me imediata indignação. Entretanto despertou também minha reflexão. O articulista pode ter razão.

O Sistema Cofeci-Creci sempre se preocupou em colocar no mercado Corretores de Imóveis qualificados e prontos para corresponder, com eficiência, aos anseios de quem se utiliza de seus trabalhos. Mas não tem sido fácil. A formação técnica exigida pela nossa lei de regência é precária. Educação geral de segundo grau, mais um curso pós-médio, de seis meses, de Técnico em Transações Imobiliária (TTI), não raro, de duvidosa qualidade, são suficientes para o ingresso na profissão.

Esses cursos, na maioria, são ministrados a distância. Nada contra essa modalidade. Ressalvadas as aulas práticas e de laboratórios, os cursos online podem ser até mais eficientes do que os presenciais. O aprendizado remoto, no entanto, carece de disciplina e interesse do educando, além de qualidade didática. Infelizmente, poucas escolas têm. A maioria está interessada apenas no faturamento. E os alunos, em boa medida, apenas na inscrição no Creci.

Para mitigar o problema, o Cofeci criou em 2002 o Exame de Proficiência. Só quem obtivesse grau 7 (sete) poderia inscrever-se no Creci. O resultado foi surpreendente. No primeiro exame, em 2002, apenas 3,4% dos examinados lograram o grau necessário. Mas o número de aprovados cresceu rapidamente. No último exame, quatro anos depois, 34% eram aprovados. Mas, infelizmente, o Exame foi extinto em 2006. A Justiça o considerou ilegal, porque não constava na Lei 6530/78.

Em corroboração com o art. 723 do CCB, o Código de Ética dos Corretores de Imóveis (Resolução-Cofeci nº 326/92) estabelece: “Art. 4º – Cumpre ao Corretor de Imóveis de Imóveis, em relação aos clientes: I – inteirar-se de todas as circunstâncias do negócio, antes de oferecê-lo; II – apresentar, ao oferecer um negócio, dados rigorosamente certos, nunca omitindo detalhes que o depreciem, informando o cliente dos riscos e demais circunstâncias que possam comprometer o negócio”.

Com base nessa regra ética, como tolerar a afirmação citada no começo deste artigo? Como admitir que o Corretor talvez “nem saiba o que está por trás da fachada” do imóvel por ele oferecido ao seu cliente? No caso em questão, talvez o Corretor jamais tenha estudado de verdade. Provavelmente, obteve por meios escusos o diploma de TTI. Esse tipo de “corretor de imóveis” não interessa ao Sistema Cofeci-Creci. Não precisamos de quantidade. O que nos importa é qua-li-da-de!

Por isso, já que a qualidade está escassa na formação de Corretores de Imóveis, há duas coisas que podemos almejar: o Exame de Proficiência, autorizado por lei, e o curso superior de Gestão Imobiliária, como requisito legal, para inscrição no Creci. Respeitado, é claro, o direito adquirido. Isso e muito mais está previsto no anteprojeto de modificação da lei de regência dos Corretores de Imóveis.

SOBRE JOÃO TEODORO: Nascido na cidade de Sertanópolis, no Estado do Paraná, João Teodoro da Silva iniciou a carreira de corretor de imóveis em 1972. Ele é empresário no mercado da construção civil em Curitiba (PR). Graduado em Direito e Ciências Matemáticas, foi professor de Matemática, Física e Desenho na PUC/PR. É técnico em Edificações e em Processamento de Dados e possui diversos cursos de extensão universitária pela Fundação Getúlio Vargas. Foi presidente do Creci-PR por três mandatos consecutivos, presidente do Sindicato dos Corretores de Imóveis do Paraná de 1984 a 1986 e diretor da Federação do Comércio do Paraná. No Cofeci, atua desde 1991, quando passou a exercer o cargo de conselheiro federal, e é presidente desde 2000.

Creci e Mariz Imóveis fazem Encontro com Construtor – Virtual para corretores

O Creci-AL promoveu mais um Encontro com Construtor – Virtual, nesta quarta-feira (29), com o propósito de aproximar corretores de imóveis e construtores, categorias que elevam a esperança para a retomada de crescimento do mercado imobiliário, em tempos de pandemia do Covid-19.

60 corretores participaram do Encontro, marcado pela apresentação do condomínio Reserva dos Milagres, lançamento realizado numa parceria das empresas Home Construções, Jotabê Engenharia e Mariz Imóveis, na Costa dos Corais, litoral Norte de Alagoas, a 94 Km de Maceió.

Kilza Mariz, diretora da imobiliária Mariz Imóveis apresentou detalhes do empreendimento que tem 129 lotes e diferencias na sua infraestrutura, como lotes de 450 ate 700 m², área de lazer de 12.000m² e uma grande área verde com mais de 12.651m².

A imobiliária também é responsável pela comercialização do Reserva dos Milagres. ‘‘Temos lotes para vender a partir de R$ 157.542,00, sendo 15% de entrada e saldo devedor em até 60 parcelas e intercaladas. Mas, sempre estamos favoráveis a aceitar contraproposta’’, disse Kilza.

O Creci foi representado neste encontro pelos diretores Tales Cardoso (que falou em nome do presidente Edilson Brasileiro), Jorge Junior e Meire Bezerra, além do José Balbino, delegado do órgão em São Miguel dos Campos.

Creci realiza Planaria de Juramento dos novos corretores de forma remota

Devido a condição extraordinária da pandemia, o Creci-AL realizou de forma remota, nesta quinta-feira (23), a sessão Plenária de Juramento dos novos corretores de imóveis inscritos, que receberam a carteira de identidade profissional e ficaram habilitados a atuar no mercado imobiliário.

As carteiras foram expedidas por meio digital ad referendum e o novo corretor de imóveis Bruno Loureiro foi designado representante da turma dos novatos para fazer a leitura do Juramento. É somente após essa cerimônia que a pessoa se tornar corretor ou corretora de imóveis.

O presidente do Creci-AL, Edilson Brasileiro, proferiu a solenidade, deu as boas vindas aos novatos e ressaltou a qualificação dos novos integrantes da classe e o empenho do Creci-AL para capacitar e ampliar a credibilidade dos corretores, além da lutar para conquistar novos espaços de atuação dos profissionais da corretagem.

Veja fotos:

Creci e Prefeitura apresentam nova de avaliação fiscal para fins de ITBI

Em primeira mão, foi apresentada aos corretores de imóveis a nova portaria que estabelece os procedimentos a serem adotados na avaliação fiscal do valor venal de imóveis para base de cálculo do ITBI, nesta terça-feira (21), em videoconferência entre Creci-AL e Secretaria Municipal de Economia (Semec).

A iniciativa foi do secretário de Municipal de Economia, Felipe de Miranda Freitas Mamede, em entendimento com o presidente do Creci-AL, Edilson Brasileiro, que designaram para o evento os seus representantes: Maurício Junior, diretor-secretário do Creci-AL, e os auditores fiscais Diocésar Taffarel e Gilberto Meister, da Prefeitura de Maceió.

A videoconferência teve como ponto alto a apresentação de detalhes da NBR 16.453-2-Avaliação de Imóveis e do Laudo de Avaliação Eletrônico e, de acordo com os comentários de vários participantes, foi um evento bastante esclarecedor.

Creci e Ar Construtora promovem Encontro com Construtor virtual

O Creci-AL realizou mais um Encontro com Construtor virtual, nesta quarta-feira (15), com a participação da AR Construtora, que fez uma apresentação aos corretores de imóveis do seu novo empreendimento: Sunset Residencial.

A apresentação foi conduzida por Ione Malta, vice-presidente do Creci-AL, e Nara Tavares, sócia-gerente da AR Construtora. O Residencial fica localizado próximo ao trevo do Francês, com 15 casas de 69 metros quadrados, três quartos sendo um suíte e área de lazer com piscina.

Em tempos de pandemia do Covid-19, o Creci-AL vem realizando todas um encontro virtual todas as quartas-feiras com o propósito de continuar estreitando a parceria entre corretores de imóveis e construtores, categorias empenhadas na retomada do crescimento do mercado imobiliário.

Creci e Caixa apresentam aos corretores novidades da Caixa em wiorkshop

O Creci-AL realizou um Workshop Online com a Caixa Econômica Federal, na sexta-feria (10), sobre a nova estrutura da Caixa, condições diferenciadas no financiamento imobiliário durante a pandemia, atendimento ao corretor de imóveis no período de pandemia, portfólio de financiamentos imobiliários e opções para todos os tipos de clientes.

O Whorkshop foi realizado com a participação de corretores de imóveis e diretores do Creci, no formato de exposição com espaço para perguntas, respondidas por Ederson Ramalho, superintende Executivo de Habitação da Caixa em Alagoas, e Maria Aparecida Machado, conselheira do Creci.

Na oportunidade, Edilson Brasileiro, presidente do Creci, fez uma breve relato da atividades que o órgão vem realizando, neste período de pandemia do Covid-19, destacou as lives sobre Fiscalização, Qualificação Profissional, Aplicativo da Caixa para corretores e seus clientes, Cofeci e outros Crecis; o encaminhamento de ofício à Secretaria Municipal de Economia de Maceió, solicitado a suspensão do ISS (Imposto Sobre Serviço) para corretores de imóveis; a edição de cartilhas sobre Home Office e Mercado imobiliário no Combate ao Coronavírus.

Outra atividades, Creci divulgou inscrições aos cursos online e grátis, fez treinamento Online sobre o Portal de imóveis Creci, Google e o Aplicativo i-Corretor; realizou três lives uma sobre Qualificação Profissional, uma com a Home e outra sobre Fiscalização e encontros com Construtor virtuais, com as construtoras Plancic, EM Empreendimentos e Vale Empreendimentos.

Creci realiza operação fiscal no município de Rio Largo

As fluentes operações da equipe de Fiscalização do Creci-AL estão acelerada em tempos de pandemia. Nesta quarta-feira (08), foi realizada uma nova etapa de trabalho dos fiscais no município de Rio largo, que se concentraram em visitas aos loteamentos, para constar documentação de empreendimentos à venda e situação dos corretores de imóveis de plantão.

Os trabalhos de hoje foram concentrados em blitz de vistoria no local, onde os fiscais constataram registro dos loteamentos e documentação dos corretores. De acordo com o coordenador de Fiscalização, Ronaldo Junior, tudo que foi vistoriado estava devidamente dentro da normalidade. ”O objetivo deste trabalho também foi fiscalizar o exercício da profissão e coibir a ação de contraventores”.

O presidente do Creci, Edilson Brasileiro, recomenda que as pessoas evitem fazer contatos com pessoas estranhas a profissão de corretores, para negociar imóveis. Essa medida é fundamental para evitar golpes, uma vez que, essas pessoas que não têm a carteira do Creci, não são responsáveis por venda de imóveis e o cliente fica desprotegido. ‘’Aconselhamos a todos, sempre fazer negócio com um profissional corretor de imóveis ou uma Imobiliária e exigir a carteira de corretor. Isso garante um negócio seguro e evita possíveis transtornos”.

O Creci disponibiliza em seu site uma ferramenta de consulta online, que possibilita verificar a existência ou a situação do corretor de imóveis e imobiliárias, além do serviço Disque Denúncia, por meio do telefone fixo (82)3305-3460, ou whatsapp 98112-6776 e 99971-4884. E a denúncia pode ser anônima.

Creci reúne Coapin e habilita novos corretores de imóveis

Corretores de imóveis da Comissão de Análise de Processos Inscricionários (Coapin) do Creci-AL estiveram reunidos, na sede do órgão, na manhã desta quarta-feira (08), para intensificar os trabalhos que visam acelerar o processo de aprovação dos novos profissionais para o mercado imobiliário.

Edilson Brasileiro, presidente do Creci-AL, participou da reunião e abriu as discussões, agradecendo pela colaboração voluntária dos integrantes da Comissão que dedicam uma parte de seu tempo em prol da categoria. “A atuação da Coapin é essencial para o funcionamento do Creci, junto com as demais comissões”. Ele também destacou o ótimo grau de qualificação dos novos corretores de imóveis, nos últimos anos.

Os presentes à reunião de hoje disseram satisfeitos com a administração do Creci e a flexibilidade estabelecida para análise dos processos, com horário mais elástico, de acordo com a disponibilidade de agenda dos integrantes da Coapin.

Preço de venda residencial encerra primeiro semestre com alta

O Índice FipeZap, que acompanha o comportamento do preço médio de venda de imóveis residenciais em 50 cidades, apresentou alta nominal de 0,18% em junho, ante avanço de 0,23% em maio. Comparativamente, a variação mensal do índice ficou abaixo do comportamento esperado do IPCA/IBGE para o mês (+0,24%), segundo expectativa publicada no último Boletim Focus do Banco Central do Brasil.

Uma vez confirmada essa variação dos preços ao consumidor, calcula-se que o preço médio de venda de imóveis residenciais encerrará o referido mês com ligeira queda real de 0,06%. Individualmente, dentre as 16 capitais monitoradas pelo Índice FipeZap, aquelas que apresentaram maior elevação de preço médio no último mês foram: Brasília (+0,63%), Manaus (+0,61%) e Maceió (+0,59%). Em contraste, Recife exibiu novamente maior recuo no preço médio entre as capitais monitoradas (-1,38%), sendo acompanhada por ligeira queda no Rio de Janeiro (-0,08%) e Vitória (-0,06%). No tocante à cidade com maior representatividade na composição do Índice FipeZap, São Paulo encerrou junho com alta de 0,30% no preço médio de venda residencial.

Ao final do primeiro semestre, o Índice FipeZap acumula alta nominal de 1,11%, ante variação de +0,08 % esperada para o IPCA no período*. Na comparação entre a variação acumulada do Índice FipeZap e a inflação esperada no mesmo período, a expectativa é que o preço médio de venda dos imóveis residenciais encerre o período com alta real de 1,03%. Na ótica por cidade, a maior parte das capitais monitoradas apresentou avanço no preço médio de venda de imóveis residenciais no período, com destaque para: Florianópolis (+4,16%), Curitiba (+3,24%) e Campo Grande (+2,98%). Em contraste, apenas 3 das capitais monitoradas exibiram queda nominal no preço médio dos imóveis: Recife (-3,88 %), Fortaleza (-1,35%) e João Pessoa (-0,38%).

Últimos 12 meses: nesse horizonte temporal, o Índice FipeZap de Venda Residencial acumula um avanço nominal de 0,81%. Comparando-se com a inflação acumulada nos últimos 12 meses (+2,11%), de acordo com o IPCA (IBGE)*, o índice exibe queda real de 1,27%. Entre as 16 capitais monitoradas pelo Índice FipeZap, Florianópolis registra o maior aumento nominal no preço médio (+4,76%), seguida por Vitória (+3,72%) e Salvador (+3,58%). Em contraste, Fortaleza acumula a maior queda no preço médio de venda residencial entre as capitais (-8,44%), sendo acompanhada por Recife (-4,02%) e Brasília (-2,19%).

Preço médio de venda residencial: tendo como base a amostra de imóveis residenciais anunciados para venda em junho de 2020, o preço médio calculado foi de R$ 7.294/m² entre as 50 cidades monitoradas pelo Índice FipeZap. Dentre elas, Rio de Janeiro se manteve como a capital monitorada com o preço do m² mais elevado (R$ 9.323/m²), seguida por São Paulo (R$ 9.132/m²) e Brasília (R$ 7.491/m²). Já entre as capitais monitoradas com menor valor médio de venda residencial por m², figuraram: Campo Grande (R$ 4.256/m²), Goiânia (R$ 4.309/m²) e João Pessoa (R$ 4.313/m²).

Fonte: Investimento e Notícia